Reitores da Missão

Abaixo apresentaremos as biografias dos reitores da Missão Católica Polonesa no Brasil. As biografias são fornecidas segundo a seqüência cronológica no desempenho da função.

 

Pe. BRONNY Ludovico
2-1-1877 Szeroka
+ 23-9-1970 Curitiba
(vicentino, visitador da congregação, reitor da MCP: 1953-56)

Nasceu na Alta Silésia, perto de Rybnik. Educado segundo as tradições polonesas, freqüentou a escola pública local, onde muitas vezes era castigado por utilizar-se da língua polonesa. Ingressou no Seminário Menor dos padres vicentinos em Cracóvia, onde também concluiu os estudos de filosofia e teologia. No dia 5 de julho de 1903, na catedral de Wawel, recebeu a ordenação sacerdotal. A seguir foi professor no Seminário Menor dos padres vicentinos em Nowa Wies, bem como lecionou religião em algumas escolas profissionais públicas. Cinco anos mais tarde, em 1908, veio ao Brasil. Exerceu o trabalho pastoral em Abranches (1908-1911) e Prudentópolis (1911-1928). Nos anos 1928-1956 foi superior dos padres vicentinos e diretor das irmãs de caridade. Nos anos 1953-56 exerceu a função de primeiro reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. O pe. Bronny dirigiu a construção da igreja de S. Vicente em Curitiba, do seminário da congregação em Curitiba e Araucária, bem como da casa central e da tipografia dos padres vicentinos em Curitiba. Além disso, foi o responsável pela execução dos planos de construção: da cúria do arcebispado em Curitiba, de numerosas igrejas, colégios e orfanatos. Supervisionava de perto a realização desses planos. Na arquidiocese de Curitiba exerceu também a função de conselheiro. Muitas vezes viajavapara missões, que pregava no Sul do Brasil para os colonos poloneses. Faleceu com a idade de 93 anos.

 

Pe. PIASECKI Estanislau

* 5-4-1885 Masłów

+ 17-8-1962 Curitiba

(vicentino, reitor da MCP: 1956-59)

Filho de Francisco Piasecki e Francisca Milczarek, nasceu na região de Poznań. No dia 23 de setembro de 1905 ingressou na congregação dos padres vicentinos. Realizou os estudos de filosofia e teologia no Seminário Maior da congregação em Cracóvia. Foi ordenado sacerdote no dia 2 de julho de 1911. Nos primeiros anos do sacerdócio trabalhou na paróquia dirigida pela congregação em Tarnów. No dia 15 de agosto de 1914 veio ao Brasil. Exerceu o trabalho pastoral entre os imigrantes poloneses nas seguintes paróquias: Órleans, Água Branca, Curitiba. Por algum tempo pregou missões populares entre os poloneses residentes nos três Estados meridionais do Brasil. Em 1921 foi encaminhado a trabalhar como redator do semanário Lud e da revista Przyjaciel Rodziny.  Esteve também envolvido nos trabalhos do Centro Cultural Oświata. Dirigiu o internato em que moravam alunos oriundos do interior. Em 1923 cooperou na organização da escola média Henrique Sienkiewicz. Nesse período visitou as colônias polonesas no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, onde pronunciava conferências, exibia filmes, organizava apresentações de peças teatrais. Em 1927, como delegado do Centro Cultural Oświata, participou de um congresso polônico em Varsóvia. Em 1928 foi pároco em Contenda, residindo em Catanduvas. Nos anos 1928-1938 trabalhou na paróquia de Rio Claro do Sul. Durante a Segunda Guerra Mundial cooperou com o Comitê Brasileiro de Ajuda às Vítimas da Guerra na Polônia. Além disso era membro da União Cultural dos Poloneses no Brasil. A seguir, nos anos 1953-1954, foi pároco em Contenda, residindo em Serrinha (PR). Nos anos 1954-1955 exerceu a função de vigário na paróquia de Araucária. Em 1955 foi nomeado superior (visitador) dos padres vicentinos no Brasil. Em 1956 tornou-se reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. No exercício dessa função, visitava as colônias  polonesas. Após ter cumprido o mandato de superior, fixou residência na paróquia de Abranches, como auxiliar do pároco Bronislau Kozłowski CM no trabalho pastoral. Pela sua atividade social e cultural recebeu em 1928 o diploma de membro fundador do Centro Cultural Oświata. Em 1936 o governo polonês distinguiu o pe. Piasecki com a condecoração Polonia Restituta.

 

 

Pe. PAŁKA João

* 16-2-1901 Czerna

+ 29-5-1987 Araucária

(vicentino, redator do Lud, reitor da MCP: 1959-61)

Filho de Carlos e Inês, nasceu em Czerna, perto de Cracóvia. Na juventude ingressou na congregação dos padres vicentinos, onde concluiu os estudos de filosofia e teologia. Durante os estudos foi redator da revista bimensal Meteor.  No dia 22 de junho de 1924 foi ordenado sacerdote em Cracóvia. Após a ordenação estudou direito canônico e literatura em Estrasburgo. A partir de 1927 esteve envolvido em trabalho pastoral na França (em Soissons). A partir de 1928 exerceu a função de secretário geral da Missão Polonesa na França e redigiu o jornal Polak we Francji. Em 1929 foi encaminhado pelos superiores para trabalhar no Brasil. Em Curitiba substitui o pe. Estanislau Piasecki na redação do Lud. Trabalhou como redator até 1940. Continuou esse trabalho após alguns anos de interrupção (1947-54). Além de se envolver no trabalho redatorial, dedicou-se à atividade social nas organizações católicas e na Sociedade Oświata. Exerceu a função de secretário geral da União Central dos Poloneses no Brasil (CZP). Foi diretor do internato dos padres vicentinos. Quando em 1936 a Polônia meridional foi atingida por uma onda de inundações, o pe. Pałka organizou uma campanha de ajuda aos flagelados. Organizou também uma coleta para o Fundo de Defesa Nacional. Durante a Segunda Guerra Mundial esteve envolvido nos trabalhos do Comitê de Ajuda às Vítimas da Guerra na Polônia (1939-1945). Além disso, foi secretário geral do Comitê de Ajuda às Crianças na Polônia. Após a guerra continuou a atividade social juntamente com o pe.  João Pitoń CM. Por muitos anos foi superior da casa central dos padres vicentinos em Curitiba, reitor da igreja de S. Vicente (1932-1947) e primeiro pároco polonês nessa igreja. Nos anos 1954-1956 foi pároco em Araucária. Contribuiu para o surgimento do Seminário Menor dos padres vicentinos e para que nele fosse fundada uma banda de música. Em 1956 tornou-se diretor da emissora de rádio Cambiju (surgida em 1953), em Araucária. A seguir, em 1959 tornou-se superior do Seminário Menor dos padres vicentinos naquela cidade. Nos anos 1959-61 exerceu a função de reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. No entanto, em razão das múltiplas tarefas, podia cumprir apenas esporadicamente as funções de reitor da MCP. Renunciou a esse cargo e indicou como seu sucessor o pe. João Pitoń CM. Além disso, pregou também missões populares juntamente com o pe. João Wiśliński e o pe. Ludovico Bronny. Em junho de 1974 comemorou o jubileu áureo do seu sacerdócio. Posteriormente, no dia 11 de dezembro e 1984 comemorou o 60º aniversário de sacerdócio. Pela sua atividade em prol da difusão da cultura polonesa, recebeu do governo polonês no exílio, em Londres, a condecoração Polonia Restituta.

 

Pe. PITON João

* 3-2-1909 Kościeliska+ Zakopane

(vicentino, jornalista, reitor da MCP: 1962-72)

Filho de Tiago Pitoń e Bronislava Ustupski, nasceu em Kościeliska, perto de Zakopane.  No dia 27 de agosto de 1925 ingressou na congregação de S. Vicente de Paulo. Foi ordenado sacerdote no dia 10 de setembro de 1933, em Cracóvia. No dia 8 de dezembro de 1933 veio ao Brasil. Trabalhou nas paróquias dos padres vicentinos (Alto Paraguaçu, Guarani das Missões, Ivaí, Irati, Curitiba, Porto Alegre). No dia 16 de setembro de 1959 adotou a cidadania brasileira. Nos anos 1962-72 exerceu a função de reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. Interessava-se vivamente com a vida da colônia polonesa no Brasil. Na sede dos padres vicentinos em Curitiba organizou um excelente arquivo sobre assuntos relacionados com a colônia polonesa no Brasil. Colaborou com o Centro de Estudos Polônicos da Universidade Jagiellônica e com o Comitê de Pesquisas sobre os Poloneses Emigrados da Academia Polonesa de Ciências. Em 1974 voltou à Polônia. Foi condecorado com a cruz da Polônia Renascida.

 

Pe. PIOTROWSKI, Paulo

27-6-1933, Gniezno

+ Curitiba

(sacerdote da Sociedade de Cristo, reitor da MCP: 1972-76)

Filho de João e Irene. É membro da Sociedade de Cristo para os Poloneses Emigrados. Após a conclusão do Seminário Maior da congregação, recebeu a ordenação sacerdotal no dia 20 de abril de 1958 na catedral de Poznań. Exerceu a prática pastoral nas paróquias da congregação na Pomerânia Ocidental. Veio ao Brasil no dia 14 de novembro de 1962. Inicialmente trabalhou nos núcleos pastorais da Sociedade de Cristo em Triunfo e Guarani das Missões como vigário. Nos anos 1966-69 exerceu a função de prefeito no Seminário Menor da Sociedade de Cristo em Camaquã (RS), e a seguir de ecônomo da congregação no Brasil. Nos três anos seguintes (1969-72) foi provincial da Sociedade de Cristo nesse país. Nos anos 1972-73 trabalhou como pároco na paróquia em Mendes (RJ). Na segunda metade de 1972 o pe. Paulo Piotrowski SChr. foi nomeado reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. Em outubro daquele ano fixou residência no Rio de Janeiro. Como reitor, organizou cursos de língua portuguesa para os padres que vinham da Polônia ao Brasil. Foi graças a isso que os padres palotinos vieram ao Rio de Janeiro. O pe. Piotrowski contribuiu igualmente para que os franciscanos poloneses viessem ao Brasil. Eles pediam conselho, indagando se deviam trabalhar na África ou no Brasil. O pe. Piotrowski recolheu e enviou a eles documentos a favor do Brasil, graças ao que puderam ser convencidos. Como reitor da MCP, passou com eles o primeiro Natal no Estado de Goiás. No início de 1975 o pe. Piotrowski mudou-se do Rio de Janeiro para Curitiba. Para não perder o contato com o trabalho pastoral, auxiliava na paróquia de Campo Largo, onde era pároco o pe. João Sobieraj SChr. Após exercer por alguns anos a função de reitor da MCP, o pe. Paulo Piotrowski enviou ao Primaz da Polônia um pedido para ser dispensado do cargo que ocupava.  Nos anos 1976-77 foi pároco em Matinhos (PR). Em 1977 assumiu a paróquia pessoal polonesa de Nossa Senhora de Monte Claro no Rio de Janeiro. Exerceu o trabalho de pároco por 12 anos. Do Rio de Janeiro foi encaminhado à paróquia de Nossa Senhora da Luz em Ijuí (RS), de onde alguns meses depois viajou para trabalhar como missionário na Ucrânia. Algum tempo depois voltou ao Brasil e tornou-se pároco em Campo Largo (PR). Desde o dia 14 de janeiro de 1996 exerce a função de pároco na paróquia de Nossa Senhora de Nazaré em Curitiba. Na mencionada paróquia engajou-se na organização de setores pastorais. Sob a sua direção foi construído, junto à igreja paroquial, um centro pastoral-catequético. Um centro semelhante surgiu também junto à capela de Nossa Senhora de Monte Claro.

 

Pe. GRZYMKOWSKI Benedito

* 20-4-1935 Chełmża

+ 13 II 2013  Curitiba

(sacerdote da Sociedade de Cristo, reitor da MCP desde 1976)

Filho de Estanislau e Leocádia, nasceu em Chełmża, onde também concluiu a escola pública. A seguir estudou no Seminário da Sociedade de Cristo em Ziębice, tendo prestado o exame de madureza em Poznań. A seguir iniciou os estudos de filosofia e teologia na Seminário Maior (Seminário Estrangeiro) da Sociedade de Cristo em Poznań. No dia 23 de maio de 1959 foi ordenado sacerdote na catedral de Poznań. A seguir estudou romanística na Universidade Adam Mickiewicz em Poznań, obtendo o diploma de mestre em literatura em 1964. Até o momento da partida para o Brasil em 1966 foi professor no Seminário Estrangeiro em Poznań. A partir de janeiro de 1967 exerceu a função de capelão dos poloneses no Rio de Janeiro. Graças aos seus empenhos, no dia 8 de novembro de 1970 foi criada a paróquia pessoal polonesa de Nossa Senhora do Monte Claro. Nos anos 1970-1974 foi cura da paróquia pessoal polonesa no Rio de Janeiro. Durante a estada nessa cidade nos anos 1968-73, foi assistente na Pontifícia Universidade Católica, e nos anos 1970-74 foi professor na Faculdade Notre Dame. Em 1975 foi nomeado provincial da Sociedade de Cristo no Brasil e fixou residência em Curitiba. Dentro das suas atividades como reitor, organizou encontros natalinos para as irmãs e os padres poloneses que trabalhavam no Brasil, participou da comissão preparatória da visita do papa João Paulo II a Curitiba nos dias 4 e 5 de julho de 1980, preparou a visita do Primaz da Polônia, cardeal José Glemp, ao Brasil em 1984. Além disso esteve envolvido na organização da visita do arcebispo Szczepan Wesoły, delegado do Primaz da Polônia para assuntos de pastoral polônica, bem como de outros bispos poloneses. O pe. B. Grzymkowski SChr. está envolvido na atividade da BRASPOL – organização de que é co-fundador. Participa das atividades da União das Associações e Organizações Polonesas da América Latina – USOPAL, tendo sido escolhido seu vice-presidente em 1996. Além disso, tomou parte ativa nos congressos da comunidade polônica latino-americana (Argentina-Uruguai – 1993, Brasil – 1996, Uruguai – 1998, Brasil – 2000). Desde 1988 trabalha como pároco em Balsa Nova (PR), continuando as funções de reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. No dia 7 de maio de 1996, recebeu na Embaixada da Polônia em Brasília, das mãos da embaixadora Katarzyna Skórzyńska, a condecoração da cruz do Renascimento da Polônia. Desde 1998 é membro do Conselho do Programa Polônico do Centro de Estudos Latino-Americanos (CESLA) da Universidade de Varsóvia. O pe. Benedito Grzymkowski traduziu a monografia A presença dos poloneses e da comunidade polônica no Rio de Janeiro, publicada pelo Centro de Estudos Latino-Americanos (CESLA) da Universidade de Varsóvia em 1998.

Conf.: Zdzislaw MALCZEWSKI SChr, Solicitue não apenas com os patrícios, Curitiba 2002.

Atualizado aos 13 de maio de 2016.

 

Copyright © Zdzislaw Malczewski SChr | Wszystkie prawa zastrzezone | Todos os direitos reservados